Existe uma associação entre o vício em smartphones e transtornos psiquiátricos?



Estudar os efeitos do uso excessivo ou vício de smartphones está se mostrando cada vez mais importante, pois essa tecnologia se tornou parte de nossas vidas diárias e já está manifestando efeitos colaterais negativos em algumas populações.

As pesquisas buscavam encontrar uma correlação positiva entre o vício em smartphones e transtornos de saúde mental, como depressão, ansiedade e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.


Os sujeitos foram divididos em dois grupos: Uso excessivo ou vício e o grupo de uso controlado ou baixo, sendo ambos classificados como variáveis ​​dependentes. As variáveis ​​independentes foram adolescentes do sexo feminino, grupo de depressão, ansiedade e grupo de TDAH.

O estudo foi concluído com 4.512 (2.034 homens e 2.478 mulheres) estudantes do ensino fundamental e médio com idade média de 15 anos, residentes na Coreia do Sul.

As pesquisas evitaram o viés de seleção escolhendo escolas em todos os 5 distritos da cidade metropolitana de Gwangju, na Coreia do Sul. Cada escola recebeu uma série diferente, pela qual os alunos seriam selecionados aleatoriamente para participar do estudo. Profissionais treinados compareciam às salas de aula para explicar aos alunos os procedimentos da pesquisa e garantiam o sigilo, pois as respostas seriam dadas de forma anônima, a fim de evitar o viés das pesquisas e aumentar os níveis de honestidade dos participantes. A participação no estudo foi voluntária, os alunos que decidiram participar tiveram que responder a um questionário de autorrelato que levou cerca de 30 minutos para ser concluído.


Pesquisas conseguiram encontrar uma correlação positiva entre depressão, ansiedade, déficit de atenção e dependência de smartphones. Adolescentes do sexo feminino viciadas no uso de smartphone mostraram ter os níveis mais altos de depressão, que se acredita ocorrer devido aos tipos de atividades que as mulheres tendem a participar enquanto estão online, como: namoro online, mídia social e mensagens instantâneas. Além disso, os indivíduos do grupo de dependência eram mais propensos a usar álcool e tabaco quando comparados ao grupo de uso baixo. Este foi o primeiro estudo epidemiológico em grande escala realizado em adolescentes com o objetivo de analisar a relação entre os sintomas de deficit de atenção e o vício em smartphones, portanto, mais estudos são necessários para avaliar os fatores de confusão genéticos e fisiológicos que podem afetar o vício em smartphones.


Notas do autor: o uso de smartphone e mídia social, por mais que benéfico e essencial em algumas formas, devem ser cautelosamente monitorados. Pois o uso excessivo pode gerar consequências graves, especialmente em crianças e adolescentes, os tornando reféns de tal objeto.

Seung-Gon Kim, Jong Park, Hun-Tae Kim, Zihang Pan, Yena Lee, Roger S. McIntyre. The relationship between smartphone addiction and symptoms of depression, anxiety, and attention-deficit/hyperactivity in South Korean adolescents. Annals of General Psychiatry. 2019;(1):1. doi:10.1186/s12991-019-0224-8

MD1 LEAD

Quem somos

Siga-nos:

Instagram

facebook

Fale conosco:

contato@md1lead.com

United States of America